A fermentação

O que seria da culinária sem um tempo para fermentação? O pão precisa ficar um tempo ali, crescendo, antes de ir pro forno. Pois foi isso que a Elaine Bombicini me disse hoje.

Já tem algumas semanas que não escrevo aqui no blog. Estou preparando também algumas entrevistas, que logo vão para a mesa. Andei refletindo e os textos no blog vão ser assim: após crescer, vão para o forno e depois serão servidos. É fácil falar sobre teorias e temas, mas quando pensamos na abordagem Junguiana, nos deparamos com temas relacionados ao nosso próprio processo. Por isso, se eu estiver num momento de intensa atividade de escrita, com posts semanais, assim será o blog naquele momento; se eu estiver dedicado a elaborar as questões internas que me são pertinentes, vai levar um tempinho a mais – não é assim em restaurantes slow food?

Eu que havia previsto uma série de posts a respeito do chamado do self e sobre sincronicidades, me deparei nos últimos dias com uma sincronicidade com um outro tema, que falarei em breve – prometo! Só não escrevo hoje pois quero ter um tempo adequado para relacionar as fontes bibliográficas corretas, e também as teatrais.

Aliás, ultimamente peças teatrais têm sido frequentemente mencionadas aqui, e creio que isso será a tônica para os tempos vindouros. Peças que nos transformam. Fui assistir ao espetáculo Terra de deitados, e vou falar dele ainda nessa semana. Só aguardem para que eu pesquise e faça as devidas referências, inclusive das redes sociais. Vale muito a pena! É gratuito e só vai até 17/07/2016. Corre! É gratuito.

Bom, é isso! Güenta mais um cadinho que a massa tá terminando de crescer! Logo vai pro forno! E então, bon appétit!

Compartilhe:

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *